A fimose é definida como um estreitamento do prepúcio, a pele que recobre a cabeça do pênis, e que impede justamente que essa cabeça, conhecida como glande, seja exposta. O que muita mãe não sabe é que a fimose é extremamente comum nos meninos, principalmente nos mais novos, e que ela pode provocar alguns probleminhas se não for tratada da devida forma.

Quer descobrir mais sobre a fimose e como fazer o acompanhamento adequado do seu filho? É só conferir o nosso post de hoje!

Qual a prevalência da fimose?

Estima-se que até 95% dos meninos nasçam com fimose. No entanto, com o tempo, à medida que o pênis cresce, ocorrem ereções naturais da infância e com a mobilização do prepúcio da criança durante o banho, as peles da glande e da parede interna do prepúcio vão se soltando, permitindo uma exposição cada vez maior da glande.

Assim, aos três anos de idade, apenas 10% dos meninos ainda têm fimose.

Como identificar a fimose?

Para saber se o seu filho tem fimose basta tentar expor a glande do pênis. Quando isso não é possível caracteriza-se o quadro de fimose. É muito comum também que na hora que a criança com fimose urina, forme um balãozinho de xixi na ponta do pênis antes do jato sair.

O que causa a fimose?

A fimose fisiológica, que ocorre na maioria das crianças, não tem causa específica e é considerada uma parte normal do desenvolvimento.

Mas também é possível que ocorra a fimose patológica. Ela surge após um processo inflamatório e cicatricial na cabeça do pênis, denominado de balanopostite, que pode ser causado por traumas ou infecções devido a má higiene.

Qual o problema da fimose?

Por causa da fimose, a higiene do pênis fica prejudicada, favorecendo o acúmulo de secreções e o surgimento de infecções. Além disso, podem ocorrer sangramentos e ereções dolorosas ou incômodas.

Se o quadro se prolonga até a vida adulta, há prejuízo na vida sexual e aumenta-se a chance de contração e de transmissão de algumas doenças sexualmente transmissíveis, que podem inclusive ocasionar o câncer de pênis e o câncer de colo de útero.

Como é feito o tratamento da fimose?

Nos primeiros anos de vida o ideal é acompanhar a fimose com o pediatra e seguir suas orientações, de acordo com cada quadro. Em geral, se a fimose não se resolver até os dois anos ou tiver gerando danos, faz-se o uso de uma pomada de corticoides, que ajuda na quebra da pele entre a glande e o prepúcio.

O uso da pomada consegue resolver cerca de 90% dos casos de fimose. Para o restante das crianças, é recomendada a realização de uma cirurgia de circuncisão, a postectomia, entre os 7 e os 10 anos.

Massagens ajudam a reduzir a fimose?

As massagens não costumam ser recomendadas pelo risco da tração forçada do prepúcio gerar uma lesão e provocar uma cicatriz que piora a fimose. Além disso, se a massagem se torna dolorosa, vai gerar medo na criança e impedir a higiene durante o banho.

Assim, o ideal é tentar expor a glande apenas durante o banho para a realização da higiene local, sem forçar muito.

E como é a cirurgia?

É necessário aguardar pelo menos até os 7 anos para a realização da cirurgia, já que é nessa idade que a criança pode compreender o porquê do procedimento e o que esperar do pós-operatório. É importante também não deixar a cirurgia para depois dos 10 anos para que o menino não entre na adolescência com a fimose.

A cirurgia é um procedimento simples que pode ser realizado até em hospitais dia, sem ser necessária a internação da criança durante a noite. Geralmente, ocorre a retirada completa do prepúcio, com exposição total da glande — o uso de anestesia geral ou de sedação é feito apenas para evitar que a criança se mova durante o procedimento ou que fique muito nervosa.

Não deixe de acompanhar o desenvolvimento do seu filho com o pediatra! Quer aprender a importância das brincadeiras lúdicas na vida do seu filho? Confira aqui!

%d blogueiros gostam disto: