Assim que descobre que está gravida, a futura mamãe já fica cheia de dúvidas e incertezas. Como escolher o melhor médico para fazer o pré-natal? Será que vou conseguir fazer meu bebê dormir a noite toda? E a principal delas: qual o melhor tipo de parto?

Nem melhor, nem pior. Cada maneira de trazer o neném ao mundo tem suas vantagens e desvantagens. E cabe à mãe procurar profissionais qualificados e informações claras para conseguir decidir o que for mais adequado para ela e seu filho.

Veja agora os 5 tipos de parto mais comuns e entenda sobre cada um deles:

Normal

No parto normal, o bebê nasce através do canal vaginal. Podem ser usados recursos, como anestésicos para aliviar a dor, hormônios para estimular o trabalho de parto e a episiotomia — um corte feito entre a vagina e o ânus para facilitar a passagem. Este tipo de parto é indicado para as gestantes que não tenham contraindicação médica. As principais vantagens são a recuperação rápida da mãe, menor índice de complicações respiratórias para o bebê e baixo risco de infecções para a mãe e o filho. Há o risco, no entanto, de ocorrer ruptura do útero, especialmente quando a mulher já foi submetida a cirurgias anteriores.

Cesárea

Este é considerado um método para salvar vidas. Isso porque esse tipo de parto é indicado especialmente para quando há risco de morte para mãe e/ou bebê ou quando existem complicações durante o parto normal. Também é aconselhado para as gestantes que tenham algum problema de saúde — como diabetes ou hipertensão, por exemplo. Para realizar o procedimento, a gestante recebe anestesia peridural, a raquidiana ou o efeito duplo — que alia as duas opções. Em seguida, é feito um corte com cerca de 20 centímetros abaixo do umbigo para a retirada do bebê. A recuperação da mãe nesses casos é mais lenta e o tempo de internação costuma ser maior. Por se tratar de um procedimento cirúrgico, há riscos maiores de infecção.

Humanizado

O parto humanizado traz uma proposta diferente para as gestantes que querem ter o filho com mais tranquilidade e menos intervenções. O método busca dar apoio à mamãe e ao bebê durante o trabalho de parto, com a supervisão de profissionais qualificados. Entretanto, busca-se interferir o mínimo possível para que o controle esteja nas mãos da gestante. O parto humanizado é, na maioria das vezes, aliado ao parto normal, mas a ideia de humanizar o processo de nascimento também pode ser aplicada aos demais tipos de parto — dando mais carinho e apoio à mãe e ao bebê. Este tipo de parto é apropriado para todas as gestantes, mas só se o pré-natal não apontar nenhuma contraindicação.

Com fórceps ou vácuo extrator

O fórceps e o vácuo extrator são instrumentos que auxiliam a passagem do bebê pelo canal vaginal em casos de emergência durante o parto normal — quando há sofrimento fetal, por exemplo. O obstetra utiliza estes recursos para evitar prejuízos à saúde da mãe e do bebê. Um dos problemas desse tipo de parto é que há riscos de machucar o períneo e causar danos à bexiga da mulher. Já o bebê, pode nascer com pequenos hematomas ou com a cabeça em formato cônico — mas não se preocupe, o efeito desaparece em alguns dias.

Na água

O parto na água é uma variação do parto normal humanizado — ele pode ser realizado tanto no hospital como também em casa. Para o parto, uma banheira é preparada com água morna, a uma temperatura de cerca de 36 graus. O acompanhamento é feito por profissionais qualificados e pode-se fazer uso de medicação, caso necessário. Entre os benefícios estão maior dilatação do colo do útero e alívio da dor durante o trabalho de parto. Para a criança, há menos trauma e o contato direto com a mãe desde os primeiros instantes de vida. Todavia, o método não é adequado para as gestantes soropositivas, diabéticas ou com herpes genital ativo.

Independentemente do tipo de parto escolhido, a futura mamãe deve receber muito apoio durante todo o período de gestação. O cuidado com a gestante pode, inclusive, ajudar a prevenir um quadro de depressão pós-parto.

Compartilhe suas dicas de cuidados nos comentários e ajude a sanar as dúvidas das futuras mamães sobre os diferentes tipos de parto!

Baixe também nosso aplicativo (App) nas lojas Apple Store e Google Play

Encontre as melhores babysitters perto de você

Antes eu tinha certa barreira em deixar minha filha com babysitter, quando precisávamos ela ficava com as avós. Certo dia, precisei sair e não pude contar com a ajuda das avós, então quebrei essa barreira e chamei uma babysitter pelo ClickSitter….me surpreendi muito! A experiência foi ótima, a minha filha amou! Na segunda vez, tive certo receio pelo fato de vir outra pessoa…será que seria igual a primeira babysitter contratada? Novamente, deu super certo! Minha filha também amou e se divertiu muito…a partir daí sempre conto com a ajuda da ClickSitter!

Saiba Mais

%d blogueiros gostam disto: